Respiração na gestação e no parto

March 7, 2017

Respirar é receber oxigênio e liberar dióxido de carbono, é um ato de inalar e exalar, de receber e dar. 

 

É algo que necessitamos e que fazemos no automático. Mas, ao parar para observar, sentir e testar técnicas de inspirar e expirar pode alterar o ritmo respiratório e encontrar melhor equilíbrio emocional, qualidade de vida e bem-estar.

 

Respirando com consciência já na gestação, poderá perceber o ritmo corporal, liberar a musculatura rígida e flexibilizar limites para uma melhor vitalidade. O ritmo respiratório é voluntário e involuntário, sendo possível alterar a frequência com a prática da respiração profunda e abdominal.

 

 

 

 

No trabalho de parto e parto, o tipo de respiração vai se alterando conforme o momento. Ter a atenção na respiração poderá aumentar a oxigenação; auxiliar na liberação de substâncias que mantém o estado de relaxamento e introspecção, no estado de atenção plena e de presença; experimentar estado mais profundo e ampliado da consciência.

 

Entre as contrações a respiração pode ser profunda, calma e lenta, cadenciada, que proporciona mais relaxamento e oxigena o corpo da mãe e do bebê. Pode testar a inspiração pelo nariz e expiração pela boca, de preferência por inalar e exalar pelo nariz. Lembre de respirar com toda a caixa torácica e diafragma, busque pela respiração abdominal!  

 

Durante a contração (e principalmente na fase do expulsivo) pode-se usar uma respiração mais acelerada, começando lenta e ficando mais curta e rápida no auge da contração (a chamam de cachorrinho), e aos poucos volta a ficar mais profunda e longa. Aqui, prefiro indicar para as gestantes - o que me recomendaram no meu parto e funcionou e que faz sentido para uma oxigenação mais gradual – imagine na expiração que esteja assoprando uma vela, pois mesmo que a respiração seja curta e rápida, ao assoprar poderá liberar mais o ar viciado que estava no pulmão e puxar mais oxigênio na inspiração. Experimente deixar sair ruídos ou sons. Evite prender a respiração, pois dificulta o relaxamento além de inibir oxigênio pro bebê.

 

Vale lembrar que cada mulher ao longo do trabalho de parto pode achar o ritmo adequado para si, tendo uma respiração espontânea, instintiva e intuitiva. E por isso, pode variar das dicas aqui mencionadas. Às vezes, quem está acompanhando a mulher no parto também pode respirar próximo dela para indicar e lembrá-la de um ritmo saudável.

 

Quer saber mais sobre respiração na gestação e no parto? Entre em contato para conversar e praticar!

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

Educação Perinatal: fazendo a diferença no gestar, parir e nascer

March 28, 2018

1/10
Please reload

Posts Recentes

March 9, 2018

February 27, 2018

Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now